Você já ouviu falar na expressão shikiri? Esse termo foi criado pela renomada arquiteta francesa Emmanuelle Moureaux e significa dividir espaços físicos usando cores. Se Emmanuelle tem usado com frequência o conceito em suas coloridíssimas criações nos últimos anos, vale destacar que não é de hoje que arquitetos utilizam tons fortes em seus projetos como um elemento arquitetônico, assim como uma escala, estrutura ou vedação.

Mas, sem dúvida nenhuma, essa estratégia criativa está mais do que nunca com força total no mundo contemporâneo.  E o poder do colorido não aparece apenas no design e na arquitetura de interiores. Na verdade, a cor na arquitetura atual tem sido determinante para o sucesso de vários empreendimentos. E por que?

Enquanto vivemos em um mundo de tons pastéis, distantes e frios, a cor tem o poder de enriquecer nossas experiências sensoriais e emotivas. Uma prova disso é o sucesso do Instagram do fotógrafo holandês Dirk Bakker, um grande fã de design gráfico e arquitetura com mais de 360 mil seguidores pelo mundo. Eu sou uma fiel seguidora (para segui-lo, a conta é @macenzo).

A rede social de Bakker é uma verdadeira inspiração. Em suas fotos, a arquitetura da Holanda aparece como tudo menos monocromática. Não é à toa que o convidativo laranja é o símbolo de identidade e orgulho nacional no país, sendo a tradicional cor da família real holandesa e da seleção de futebol que na Copa do Mundo de 1974, com o jogador Johan Cruiff, ficou conhecida como “Laranja Mecânica”.

Sob o olhar do fotógrafo, vemos uma Holanda que parece saída de quadros de pintores como os holandeses Mondrian, Bart Van der Leck e o húngaro Vilmos Huszár. Usando as belas edificações repletas de tons fortes que são típicas no país, ele incentiva até mesmo o turismo da região inspirando todos com suas fotografias bem urbanas. Os comentários dos seguidores internacionais que mais vemos em sua conta é “quero muito conhecer a Holanda” e “a Holanda parece incrível”. Bakker está aí para provar que uma arquitetura bem feita (e colorida) às vezes parece ser até uma obra de arte modernista.